Beira Meu Amor

A Beira foi o grande amor da minha vida. Recebeu-me com seis anos, em Novembro de 1950 e deixei-a, com a alma em desespero e o coração a sangrar, em 5 de Agosto de 1974. Pelo meio ficaram 24 anos de felicidade. Tive a sorte de estar no lugar certo, na época certa. Fui muito feliz em Moçambique e não me lembro de um dia menos bom. Aos meus pais, irmão, outros familiares, amigos e, principalmente, ao Povo moçambicano, aqui deixo o meu muito obrigado. Manuel Palhares

Archives
A minha fotografia
Nome:
Localização: Odivelas, Lisboa, Portugal

segunda-feira, março 27, 2006

O passado...


O passado, embora sendo meu,
Já não tem mais retorno, morreu.
Dele apenas ficaram as memórias,
Com que vos conto minhas histórias.

Por vezes, vivo mais recordando,
Esse saudoso passado que já passou,
Que dou por mim ausente, sonhando,
E até me parece que já aqui não estou.

Aí assusto-me por tanto sonhar,
Em tudo aquilo que já passou,
Porque assim deixo passar,
O futuro que por aqui passou.


Manuel Palhares

Odivelas, 27 de Março de 2006.

4 Comments:

Anonymous Isabel said...

Não te sintas triste Manel,
Teu passado não morreu
Foi vivido.
Isso te salva a vida
Pois os anos que atravessamos
Juntos nesta vida
É lei que o futuro se faça
Da vida já vivida
Pois te trás a inocência
A aventura
A fortaleza do homem maduro
Em acção...
A isso chamasse
O TEMPO DA SABEDORIA
O sinal está presente
Ao dizeres que te apercebes
Estar sonhando
Sonhar é bom
É fonte da vida
Do presente,
Do futuro,
Quando disso nos apercebemos.
Contar tua vida
É um dom desta idade
Que a vemos olhos já de adultos
Mas as recordamos
Como a pureza da ingenuidade
Tua forma de contar
É como as hitórias que tanto
Gostava de ouvir em criança.
É um dom.
Teu poema,
Me senti retratada.
Fez-me meditar
Velhos, não!
Entramos na idade do ANCIÂO
Idade importante na vida
REFLEXÂO,
SAPIÊNCIA,
PONDERAÇÂO,
AMIZADE,
CARINHO,
COMPREENÇÂO...
Teu futuro não está a passar
Está a ser vivido com intensidade.

Um beijinho
Isabel

Bocage,
gostei recordar,
esquecera
é bom de novo despertar.
Bem hajas, Meu Amigo
Desta viagem.
Ainda achas que vives só no passado?
Quem como tu tens ajudado,
a viver tão no presente?
A música não morre.

terça-feira, março 28, 2006 10:01:00 da manhã  
Blogger Manuel Palhares said...

Isabelinha,

Foi bom ler-te e acompanhar as tuas reflexões. Soube-me bem.
Também tu estás a ficar sábia, como era a tua mãe.
Chegamos à idade da razão, adaptada à experiência da vida. Aprendemos, finalmente, que a vida não pode ser só a duas cores,ou de um cálculo matemático preciso, mas que é feita de todas as cores e de todas as variantes ao dispor do cálculo.
Um beijinho,

Manel

quarta-feira, março 29, 2006 4:46:00 da tarde  
Anonymous Mayra Meireles said...

Menel,
O passado é um presente
Daquilo que nós lembramos
Lá no cantinho da mente
Vivemos o que sonhamos!

Olha... saiu até um versinho!!!
Com certeza fui "contagiada por ti e pela Isabel!
Beijinhos,
Mayra

quinta-feira, março 30, 2006 6:36:00 da manhã  
Blogger Manuel Palhares said...

Mayra,

Lindo! Muito bem. Continua.
Um beijinho,

Manel

quinta-feira, março 30, 2006 12:51:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

/body>