Beira Meu Amor

A Beira foi o grande amor da minha vida. Recebeu-me com seis anos, em Novembro de 1950 e deixei-a, com a alma em desespero e o coração a sangrar, em 5 de Agosto de 1974. Pelo meio ficaram 24 anos de felicidade. Tive a sorte de estar no lugar certo, na época certa. Fui muito feliz em Moçambique e não me lembro de um dia menos bom. Aos meus pais, irmão, outros familiares, amigos e, principalmente, ao Povo moçambicano, aqui deixo o meu muito obrigado. Manuel Palhares

Archives
A minha fotografia
Nome:
Localização: Odivelas, Lisboa, Portugal

domingo, fevereiro 12, 2006

Centenário do Nascimento do Professor Agostinho da Silva




Meus caros amigos,

Alertou-me a nossa amiga Mayra, sempre atenta lá longe no Brasil irmão, que no próximo dia 13 de Fevereiro, se comemora o 1º centenário do nascimento do grande pensador português Professor Agostinho da Silva.
Diz ela, a Mayra, no comentário que aqui colocou:



"...na próxima segunda feira, exactamente dia 13 de fevereiro, data esta que o Agostinho da Silva estaria completando 100 anos.Que bom seria se aqui no teu blog,falásemos um pouco sobre ele, concorda?Até junho/2006, uma extensa homenagem aí em Portugal está programada. Aqui, em Natal, estamos a organizar na Academia Norteriograndense de letras, ainda com data não prevista."

Aqui fica então a homenagem a esse grande português, entre outras coisas criador de universidades, à espera dos comentários que os meus amigos entedam por bem fazer.

Manuel Palhares

Odivelas, 12 de Fevereiro de 2006.

P.S. - Deixo-vos o link da Associação Agostinho da Silva onde poderão encontrar as Comemorações do Centenário de Agostinho da Silva:

http://www.agostinhodasilva.pt/

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

"...
Os meus conselhos devem servir para que você se lhes oponha. È possivel que depois da oposição, venha a pensar o mesmo que eu, mas nessa altura já o pensamento lhe pertence.São meus discipulos, se tenho alguns, os que estão contra mim;porque esses guardaram no fundo da alma a força que verdadeiramente me anima e que mais desejaria transmitir-lheS: a de não se conformarem"
Agostinho da Silva,"Cartas a um Jovem Filosofo"
A minha homenagem a este grande portugês
Um beijinho
MManuel

segunda-feira, fevereiro 13, 2006 7:02:00 da tarde  
Anonymous Mayra Meireles said...

Comentar sobre o Mestre Agostinho da Silva é quase que impossível por ter tantas coisas para dizer ao mesmo tempo.
Falar sobre ele alguns pensamento, esquecer outros...seria uma falha que eu não me perdoaria!
Portanto, aqui deixo algumas citações dele para a própria conclusão vossa de que "os grandes homens não morrem...simplesmente adormecem"!
. "Pensadores são todas as pessoas que pensam.
Filósofos são os que pensam corretamente".
. "Quando a gente faz uma coisa é por ousadia interior ou porque não pode resistir às circunstâncias"
. "Sabia de tudo um pouco
E de nada, muito mais
E o que sabia ensinava
Com modos professorais"
Afirmava o Agostinho da Silva, "não ter o dom de fazer amigos e sim os amigos é que tinham o dom da paciencia com ele".
Numa entrevista, ao ser interrogado sobre o segredo da sua pujança intectual, respondeu:"Se há um segredo, êle é secreto até para mim mesmo"
Da liberdade dizia que "é ser plenamente aquilo que se é" e aconselhava: - "Faça o favor de ser o que se é e de se tornar contagioso"...
Ele partiu em 1994, para conversar com o Vinícius de Morais, Carlos Drumond de Andrade, Camões, Fernando Pessoa e muitos outros e lá devem estar a conversar.
A estas alturas, o Agostinho da Silva já deve saber que me tornei um fã incondicional dele e que eu gostaria de saber e poder dizer muito mais nesse dia 13 de fevereiro - seu centésimo aniversário de nascimento.
Mayra

segunda-feira, fevereiro 13, 2006 7:23:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Minha amiga grande,

Que bom ler-te aqui!
Obrigado por esta linda homenagem a este grande pensador, que acima de tudo defendeu a nossa língua.
E isso é muito, pois está mais que diagnosticado que o insucesso dos nossos estudantes actuais, é o desconhecimento funcional da lígua materna, mesmo em áreas como a matemática, porque não interiorizão o que lhes é pedido.
Um beijinho,

Manel

**********************************

Mayra,

Que linda homenagem que aqui deixas a este mestre que nunca se dobrou a ninguém com prejuízo dos seus confortos. Foi o preço que teve que pagar pela liberdade.Foi barato, pois ela não tem preço! Mas lá que é preciso coragem e que não está ao alcance de qualquer um conseguir viver assim,também é verdade.
Um beijinho e obrigado pela tua sugestão de homenagear Agostinho da Silva.

Manel

terça-feira, fevereiro 14, 2006 11:08:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

/body>