Beira Meu Amor

A Beira foi o grande amor da minha vida. Recebeu-me com seis anos, em Novembro de 1950 e deixei-a, com a alma em desespero e o coração a sangrar, em 5 de Agosto de 1974. Pelo meio ficaram 24 anos de felicidade. Tive a sorte de estar no lugar certo, na época certa. Fui muito feliz em Moçambique e não me lembro de um dia menos bom. Aos meus pais, irmão, outros familiares, amigos e, principalmente, ao Povo moçambicano, aqui deixo o meu muito obrigado. Manuel Palhares

Archives
A minha fotografia
Nome:
Localização: Odivelas, Lisboa, Portugal

sexta-feira, fevereiro 03, 2006

A loucura da consciência


Está louco!
É o que me dizem
Ao verem-me passar.

E porquê?
Porque será
Que me tratam assim?

Será porque mantenho,
Ainda apurados, os sentidos
Com que viemos ao mundo?

E porque não consigo
Ficar indiferente
Ao sofrimento de tanta gente?

Acham-me incómodo,
Acham-me convencido,
Chamam-me louco e diferente.

Ah! Se soubessem,
Como a mim, por vezes,
Me apetece ser,
Realmente, um demente!


Manuel Palhares

Odivelas, 15 de Janeiro de 2006.

/body>