Beira Meu Amor

A Beira foi o grande amor da minha vida. Recebeu-me com seis anos, em Novembro de 1950 e deixei-a, com a alma em desespero e o coração a sangrar, em 5 de Agosto de 1974. Pelo meio ficaram 24 anos de felicidade. Tive a sorte de estar no lugar certo, na época certa. Fui muito feliz em Moçambique e não me lembro de um dia menos bom. Aos meus pais, irmão, outros familiares, amigos e, principalmente, ao Povo moçambicano, aqui deixo o meu muito obrigado. Manuel Palhares

Archives
A minha fotografia
Nome:
Localização: Odivelas, Lisboa, Portugal

quinta-feira, maio 04, 2006

Mulheres!


Mulheres!
Ah! As mulheres!
Mulheres, Mulheres, Mulheres.
Ó como eu gosto delas, meu Deus:
Das Mulheres.
Porque elas são...
Não, melhor dizendo são...
Vendo melhor são...
Mas se reflectirmos, elas são...
Por um lado elas são...
Mas por outro lado são...
Porque elas são, elas são...
Elas são, pura e simplesmente,
Tão e apenas somente,
Maravilhosamente,
Elas são Mulheres.
Não importa se são novas,
Não importa se são velhas,
Não importa se são magras,
Não importa se são gordas,
Não importa se são altas,
Não importa se são baixas,
Não importa se são loiras,
Não importa se são ruivas,
Não importa se são morenas.
Se são avós, ou mães,
Se são tias, ou irmãs,
Se são primas, ou amigas,
Se são amantes, ou esposas.
O que importa, meu Deus,
Nem que para isso ficasse,
Com menos uma costela,
O que importa e obrigado
Meu Deus,
É que as tenhas feito,
Assim como as fizeste,
Tão maravilhosamente
E tão simplesmente e apenas:
Mulheres.


Manuel Palhares

Odivelas, 4 de Maio de 2006.

15 Comments:

Anonymous Anónimo said...

As mulheres são
pelo que posso ver
a tua perdição!

Meu querido Manel,Angela e Zé,aqui estou para vos dar um beijo de boas noites,já tomei o buscopam,e vou tentar dormir esta noite.
Gostaria de te pedir o endereço do blog da Isabel, ela disse-me, mas não consigo.
Até amanhã de manhã
se a Mãe de Deus nos deixar
até amanhã de manhã
teu sorriso vislumbrar!
Até amanhã de manhã
o raiar de um novo dia
até amanhã meu Jesus
Mãe do Céu Virgem Maria!

Beijinhos da vossa
Andorinha

quinta-feira, maio 04, 2006 10:52:00 da tarde  
Blogger Isabel Ribeiro said...

Manel
Teu poema é Belo Hino de Graças ao nosso Criador, pois sabes dar o valor da outra faceta humana que nos complementa.
Assim penso em relação aos Homens, mas infelizmente a formação que as próprias mulheres lhes dão são contrárias a esta Maravilhosa Apoteose à Mulher que aqui nos deixas.
Este mundo nos esmaga
por todo lado
e por isso teu poema
tem mais valor
pela pureza
e singeleza do dizer
que saí de teu coração
com tanto Amor.
Obrigada, Manel.
Obrigada por Todas as Mulheres
que sofrem descriminação
pelo Mundo Inteiro.
Um beijinho
Isabel

sábado, maio 06, 2006 12:21:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Adorinha,

Pois é! As mulheres tornaram-me sempre a vida numa alegria e tu também és uma delas.
O passarinho está melhorzinho, está? Tadinha dela, tadinha.
Não tenho desculpa por ontem não ter vindo aqui agradecer-te o beijinho e os lindos versos deixados por ti. Vou te enviar um e-mail com o link do blog da Isabel.
Um bom fim-de-semana, um abraço ao Quim e um beijinho para ti destes teus três amigos,

Manel

P.S.: Um bom Dia da Mãe para ti amanhã.

**********************************

Isabel,

Eu sou um preveligiado por ter tido sempre muitas mulheres, na família e fora dela, que me mimaram muito ao longo da vida. Por isso a minha gratidão a todas elas. A mulher, para mim, está acima de tudo e de todas as coisas.
Tem um muito bom Dia da Mãe amanhã, com o teu Jerónimo.
Um beijinho,

Manel

sábado, maio 06, 2006 5:15:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Manelii
Meu kerido amigo. isso sim, uma grande homenagem ás mulheres.
Tenho muito orgulho em sê-lo, porke keiram voçês(homens)ou nao, nós seremos sempre as heroínas da sociedade. Nao pobreza, na rikeza, na miséria ou no sofrimento, Nós, seremos sempre as rainhas de um mundo cada vez mais sem harmonia, sem graça.
Nós, o sustentáculo da humanidade, muitas vezes vilependiadas, caluniadas, espezinhadas e desprezadas.....porkê? Puro preconceito ou maxismo desesperado?
Ser mulher, ser mãe´é uma graça, ke kem a tem, nao abdika. Já pensasastes bem no SER MULHER? Já refletiram, voçês, já pararam para pensar e escutar o nosso fundo de alma? As nossas razões? As nossas motivações? A mulher é só lamurias?
porke muitas vezes a amordaçam e nao a deixam falar. Porke nao sabem ou nao a kerem entender.
Mas Manelii, gostei...e sei o kuanto gostas delas, (pote de melado, hehehh)e kuanto valor lhe dás.
o recado, esse é para kem serve.
Um beijão, meu amigo,
Sao

domingo, maio 07, 2006 4:34:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Obrigada poe esta exaltação da Mulher!! Eu gosto muito de ser Mulher e ainda bem que há quem aprecie a MULHER.
Um beijo
MManuel

domingo, maio 07, 2006 7:25:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

São, minha amiga,

Isso ontem estava um pouco bravo e amargo para os teus lados. Mas tens razão. Infelizmente as mulheres ainda são vítimas de quase todas as injustiças por esse mundo fora.
Um beijinho,

Manel

**********************************

Maria Manuel,

Olá minha amiga.
Eu é que agradeço a todas as Mulheres que fazem o favor de serem minhas amigas, e tenho um grande apreço por todas elas.
Um beijinho,

Manel

segunda-feira, maio 08, 2006 1:18:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Querido Manuel Palhares,

Imagina que só agora tive assento para ler este maravilhoso e original poema.

São homens como tu, querido Manuel Palhares, que nos acariciam o ego e nos fazem felizes por sermos mulheres.

Não sei se toda a gente concorda comigo. Porém, se não existissem homens como tu, meu querido, a vida das mulheres não teria a mínima razão de ser.

Uma vez perguntei a um grande amigo meu: - "O que vê nas mulheres?"

Respondeu. "Há quem veja nas mulheres escravs, despensa e até retrete. Não e esse o meu caso."

Não foi capaz de me dizer o que ele próprio vê nas mulheres.

Não será grande coisa. Se nem teve a coragem de dizê-lo!!!

A maior parte dos homens vê em suas mulheres simples escravas que terão de ter sempre risonhos, meigas e activas.

Não é o teu caso. Agora percebo a razão da minha grande empatia em relação a ti.

Um beijo de muito carinho, desta valhota à beira dos setenta e seis anos. A minha idade é a razão porque eu te ofereço tanto carinho.
Se fosse mais nova teria de ter mais cuidado.

É a grande vantagem da mulher velha.

segunda-feira, maio 08, 2006 4:41:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Minha querida amiga Aida,

Embora o comentário não venha assinado, só pode ser teu, minha querida amiga. E sabes, minha querida, o que me veio de emediato à cabeça? Foram estes versos de Reinaldo Ferreira que aqui te envio, sem os estar a abonecar na sua forma gráfica, porque o que interessa é o conteúdo e não a forma, não é?
Velha?! Quem?! Aonde? Nem penses nisso. O que interessa é a mente, não o invóluvro. Embora tenha achado uma doçura à tua justificação para me ofereceres tanto carinho.
Muitos beijinhos para ti, com muito carinho, deste amigo já muito caquéctico, mas porém embevecido por ti,

Manel

P.S.: A propósito! Já te passaram aquelas coisas esquisitas. Já foste ao médico? Já estás melhor?


*********************************


Que de nós dois


Que de nós dois
O mais sensato sou eu,
- É uma forma delicada
De dizeres que sou mais velho.
Ora é verdade
Ser eu quem tem mais idade.
Mas daí a ter juízo
Vai um abismo tão grande
Que é preciso,
Com certeza,
Que o digas com ironia
E nenhuma simpatia
Pelo engano em que vivo.
O engano de ter rugas
E nunca fitar um espelho...
Vê lá tu que eu não sabia
Que sou dos dois o mais velho.


**********************************


Vivo na esperança de um gesto


Vivo na esperança de um gesto
Que hás-de fazer.
Gesto, claro, é maneira de dizer,
Pois o que importa é o resto
Que esse gesto tem de ter.
Tem que ter sinceridade
Sem parecer premeditado;
E tem que ser convincente,
Mas de maneira diferente
Do discurso preparado.
Sem me alargar, não resisto
À tentação de dizer
Que o gesto não é só isto...
Quando tu, em confusão,
Sabendo que estou à espera,
Me mostras que só hesitas
Por não saber começar,
Que tentações de falar!
Porque enfim, como adivinhas,
Esse gesto eu sei qual é,
Mas se o disser, já não é...

segunda-feira, maio 08, 2006 5:23:00 da tarde  
Anonymous mar said...

Um belo hino à Mulher :)
Gostei
Bjs


Mar=Teleri ( no bar da tininha)

terça-feira, maio 09, 2006 9:10:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Mar,

Muito obrigado pela sua visita e pelas palavras que aqui deixou.

Um beijinho,

Manel

quinta-feira, maio 11, 2006 1:35:00 da tarde  
Blogger matisfolle said...

Manel,

Lindo o que escreves em relação às mulheres.
Gostei muito mesmo.
Mas nem de propósito um dia destes, ao escutar parte duma entrevista de Baptista Bastos a uma rádio local, perguntavam-lhe o que ele achava das mulheres e a resposta foi:

"Só elas, pela perfeição que têm, me fazem acreditar que Deus existe".

Beijo grande para ti.

quinta-feira, maio 11, 2006 4:10:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Coca-Cola,

Muito obrigado pelas tuas amáveis palavras e por aquilo que aqui nos deixas. Na realidade, as Mulheres, são a grande realização de Deus.
E a propósito delas...

MENA!!!

Muitos parabéns e muitas felicidades pelo dia de hoje!



O que eu fui descobrir:
A Mena que hoje é Bebé!
Tenho que a correr lhe ir dar:
Um abraço e um beijinho até!

Muitos parabéns e muitas felicidades.
Muita saúde, paz e amor.
Um beijinho,

Manel

quinta-feira, maio 11, 2006 8:14:00 da tarde  
Blogger matisfolle said...

Manel ... Amiguinho

Obrigada ... obrigada pelo carinho

Beijo grande

sábado, maio 13, 2006 1:01:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Querido Manuel Palhares,

Só hoje li o tua resposta ao meu comentário sobre o belíssimo poema.

Como sempre és amoroso nos teus dizeres.

Estou fina. Já passou todo o mal estar e já posso voltar a dizer: - Só me lembro da idade que tenho quando olho para o espelho.

Nunca fui muito de me mirar... Só quando era criança. Enfeitava-me com brincos de cerejas e tal quanto Narciso, admirava-me desvanacida, nas águas do ribeirito que passava junto às terras do meu avó.

Também gostava de ver as nuvens que se evolavam, tomando formas diversas.

Como era interessante ver as nuvens em constante transformação!

Um beijinho com muita ternura, da Aida

segunda-feira, junho 05, 2006 3:40:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Aida, minha querida,

Que bom ler-te de novo e saber que já estás bem.
Que Deus te conserve sempre com saúde, para alegria de nós todos.
Essa vaidade de criança, não era vaidade: era descoberta. Ainda por cima em espelho natural.
Muito obrigado pela visita.
Um beijinho com muito carinho,

Manel

terça-feira, junho 06, 2006 6:47:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

/body>