Beira Meu Amor

A Beira foi o grande amor da minha vida. Recebeu-me com seis anos, em Novembro de 1950 e deixei-a, com a alma em desespero e o coração a sangrar, em 5 de Agosto de 1974. Pelo meio ficaram 24 anos de felicidade. Tive a sorte de estar no lugar certo, na época certa. Fui muito feliz em Moçambique e não me lembro de um dia menos bom. Aos meus pais, irmão, outros familiares, amigos e, principalmente, ao Povo moçambicano, aqui deixo o meu muito obrigado. Manuel Palhares

Archives
A minha fotografia
Nome:
Localização: Odivelas, Lisboa, Portugal

quarta-feira, maio 30, 2007

Ainda o almoço de sábado dia 19 - Slide Show

4 Comments:

Blogger Vagamente said...

Bons dias, como é bom ver algumas caras conhecidas da Beira, os nomes é que a memória atraiçoa, é pena só agora ter dado conta desse almoço porque era eu que também gostava de de estar presente, fui aluno do Pero de Anaia.
Um abraço
Luis Almeida Pina

quinta-feira, maio 31, 2007 11:20:00 da manhã  
Blogger Manuel Palhares said...

Meu caro Luís Almeida Pina,

Obrigado pela tua visita e pelas palavras que aqui nos deixaste.
Manda-me os teus contactos para eu te poder avisar sobre o próximo almoço.
Por acaso não és aquele amigo Pina, que é benfiquista, e que escreve ns Comunidade da Beira?
Um abraço,

Manuel Palhares

quinta-feira, maio 31, 2007 1:02:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Manel

Tu estás um artista em fotografia!
As fotos estão óptimas, mas assim
em slide show sabe muito melhor
vê-las. Eu ainda sei pouco destas
novas técnologias, mas em breve
vou tentar entrar aqui em Sintra
na Universidade da 3ª idade para
aprender informática. Embora eu
ainda não me considere da 3ª idade
HA! HA! HA!
Beijinho
Teresa

quinta-feira, maio 31, 2007 1:36:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Teresa, minha amiga,

Desta vez as fotografias não foram tiradas por mim, mas pelo meu filho:"O seu a seu dono!".
Fazes muito bem em ires para a
Universidade da 3ªIdade, aprender coisas novas que não tiveste tempo de aprender, no corre-corre da vida e do contexto histórico que vivemos.
Mas agora, com os filhos já criados, ainda vamos muito a tempo.
Apesar de termos perdido as nossas raízes físicas, somos pessoas que não desistimos de viver com alguma satisfação e alegria.
E claro que não és uma pessoa da 3ª idade!
Beijinhos,

Manel

quinta-feira, maio 31, 2007 1:59:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

/body>