Beira Meu Amor

A Beira foi o grande amor da minha vida. Recebeu-me com seis anos, em Novembro de 1950 e deixei-a, com a alma em desespero e o coração a sangrar, em 5 de Agosto de 1974. Pelo meio ficaram 24 anos de felicidade. Tive a sorte de estar no lugar certo, na época certa. Fui muito feliz em Moçambique e não me lembro de um dia menos bom. Aos meus pais, irmão, outros familiares, amigos e, principalmente, ao Povo moçambicano, aqui deixo o meu muito obrigado. Manuel Palhares

Archives
A minha fotografia
Nome:
Localização: Odivelas, Lisboa, Portugal

sexta-feira, novembro 03, 2006

A alegria de reencontrar um amigo


Sobre a amizade e os amigos escrevem-se as mais variadas coisas: textos em prosa ou em verso, frases soltas e anónimas, citações de quem se imortalizou, slide shows, eu sei lá...
Porém, descrever a alegria do reencontro entre amigos de infância e de adolescência, para mim, é impossível. Pode-se procurar, na prosa e na rima, figuras de retórica que se aproximem da alegria indescritível que se sente, mas são só e apenas isso - aproximações.
Então por que será tão difícil descrever esses reencontros? Porque não é possível passar para o papel as ansiedades que antecedem esses reencontros, a alegria que se tem quando eles acontecem e, principalmente, como explicar o regresso ao passado que se faz - qual passageiros de uma máquina do tempo - tornando-nos outra vez meninos ou jovens adolescentes?
Pois eu, no curto espaço de duas, três semanas, tive a alegria e a felicidade de passar por vários desses reencontros: dois com concretização física e dois via telefone.
É verdade! Reencontrei amigos de infância e de adolescência com os quais já não estava nem falava, vai para mais de trinta anos, alguns quase há quarenta anos. E essa alegria e a agitação de ter estado ou falado com eles, é indescritível! É um doce regresso ao passado, no qual a memória nos torna a trazer sentimentos, cores e até cheiros, que julgávamos perdidos para sempre. É conseguir voltar a ter, de novo, a mesma alegria que no passado, ao recordarmos velhas aventuras, que se tornam recentes outra vez e transportam com elas a agitação, as cores e os cheiros dessa altura. É ser menino outra vez e sentir a mesma pureza de então, que julgávamos esquecida. É o cada um de nós fazer, ano por ano, década por década, o resumo do que foi a nossa vida, para o outro nosso amigo - que hoje já é também nosso irmão - e poder ver nos seus olhos, o interesse com que ele segue o nosso relato. É tudo isto e muito mais e que nos deixa numa grande agitação, antes e depois do reencontro.
Eu não sei se eles me vão ler, mas tenho que aqui deixar um obrigado enorme a todos eles, por me procurarem, por me telefonarem, por virem ter comigo. A alegria que me deram em poder tornar a vê-los e falar com eles, ou apenas ter falado ao telefone, nesta idade, foi um presente dos deuses. Obrigado pois, ao Vito, ao Altino, ao Aníbal e ao Tolentino. Obrigado ao Roca, com quem tenho falado pelo Skype, e ao Ivo, com quem, neste último ano, tenho almoçado regularmente.
Um grande abraço para todos eles,

Manuel Palhares

Odivelas, 3 de Novembro de 2006.

25 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Manel
O desejo de reencontrar os amigos é tão grande que dia a dia "vasculho" o teu blog para encontrar algo de novo que me vá amenizando as saudades dos amigos, da terra que nos viu crescer e, até, dos nossos entes queridos que nos deixaram mais pobres com a sua partida.
Tive pena de não te ter dado um abraço no dia em que fui a Lisboa. Acalentava a esperança de ver ,também, o Tino.
Quando vens com o Tino?
Um abração do mano
Aníbal

sábado, novembro 04, 2006 1:43:00 da manhã  
Anonymous rhidia said...

as saudades dos amigos e da Beira fez-me vasculhar o seu blog que encontrei hoje, fui com vocês da Praça do Municipio por aí fora, quando de repente encontro o Cruz da Sonap, gsotava tanto de falar com ele ou com a Graça.
Será que me pode ajudar?

um abraço

sábado, novembro 04, 2006 2:54:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Aníbal,

Olá, boa-tarde!
Ó se eu sei o que são essas saudades de que tu falas...
Porém, quer me parecer que ainda vamos ter algumas alegrias, com reencontros que se adivinham.
Também eu tive muita pena de não ter estado contigo, mas estava de saída para casa de uns familiares. Vou falar com o Altino sobre a nossa provável ida a Elvas, para te abraçarmos.
Até lá, um grande abraço do teu mano,

Manel

***********************************

Caro/a Rhidia,

Olá, boa tarde!
Obrigado pela sua visita e pelas suas palavras. Espero que tenha gostado do passeio imaginário até à Praça da Índia. Volte sempre e diga-nos a sua opinião.
Como não me deixou nenhum contacto, aqui lhe deixo o e-mail do Cruz da Sonap, que espero esteja correcto:

cruzsonap@hotmail.com

Um abraço, ao seu dispor e até sempre,

Manuel Palhares

sábado, novembro 04, 2006 5:30:00 da tarde  
Blogger Era uma vez um Girassol said...

Pelos vistos estás feliz com tantos encontros e reencontros de antigos companheiros...
Passei para saber de ti.
Beijinho

domingo, novembro 05, 2006 2:25:00 da manhã  
Anonymous rhidia said...

Muito obrigada Manuel Palhares!
Já Mandei um e-mail ao Cruz.
A Beira para mim também é um amor!!! embora só lá tenha estaddo de 70 a 72 (dos 10 aos 12 anos) o Cruz era uma grande amigo do meu pai, o Conceição da TAP, será que conheceu?
o meu contacto é RHIDIA@NETCABO.PT

Tá tá

domingo, novembro 05, 2006 10:35:00 da manhã  
Blogger Manuel Palhares said...

AB,

Olá, boa tarde!
É verdade, ando muito feliz e, nesta idade, tem que se aproveitar tudo. Alguns destes amigos devem-se ter cruzado contigo, em LM em geral e na ULM em particular.
Obrigado pela visita. E, sim, eu sei que tenho sido indelicado em ainda não ter feito uma visita ao teu lindo sítio, mas penso em breve fazê-lo. Até lá, sê benevolente e vai-me desculpando. Que tal a música dos violinos dos meus pobres neurónios?! Rs.!
Um bom domingo e um beijinho,

Manel

***********************************

Rhidia,

Olá, boa tarde!
Fico muito contente se esse e-mail do Cruz ainda estiver em uso. É natural que me tenha cruzado com o seu pai, até porque vivi 13 anos no Prédio Vumba, onde se encontravam os escritórios da TAP.
Dávamo-nos muito bem com o sr. Furtado da TAP e eu sou amigo da Júlia.
Obrigado pelo e-mail e quando quiser qualquer coisa sobre a Beira, diga, pois estou ao seu dispor.
Um abraço,

Manuel Palhares

domingo, novembro 05, 2006 2:56:00 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

O Roca que referes tem algum parentesco com Lucília Roca?
Beijinhos beirenses

domingo, novembro 05, 2006 7:10:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Laura Lara,

Olá, boa noite!
Se é a mesma pessoa, não sei. O que sei é que a avó do Roca e, por empréstimo, minha também, se chamava Lucília Roca. Tenho uma história muito engraçada para contar, cujos personagens foram ela, o neto e eu.
Por que perguntas? Conheceste-a?
Tem uma boa noite e uma boa semana.
Um beijinho,

Manuel

domingo, novembro 05, 2006 8:01:00 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

A Lucília Roca e o marido eram grandes amigos dos meus pais e padrinhos de baptismo da minha irmã.
Beijinhos beirenses

segunda-feira, novembro 06, 2006 11:55:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Laura Lara,

Quem sabe se os teus pais e eu não nos conhecemos...
Um beijinho,

Manuel

terça-feira, novembro 07, 2006 12:17:00 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

O marido da Lucília chamava-se Francisco Inácio Roca. Conheci também a Rita Brazão (irmã da Lucília), o marido e o filho, Fernando. Não creio que nos conheçamos, pois saímos da Beira no ano de 1947. Mas é sempre bom ouvir nomes conhecidos.
Beijinhos beirenses

terça-feira, novembro 07, 2006 4:42:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Laura Lara,

Obrigado pelos esclarecimentos.
Realmente, eu só fui para a Beira em 1950...
Sempre ao dispor.
Um beijinho,

Manuel

terça-feira, novembro 07, 2006 4:53:00 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

Sou da família Amaral por parte do pai e Lourenço por parte da mãe.
O meu avô materno foi para a Beira em 1910 e o meu pai em 1930.
Beijinhos

terça-feira, novembro 07, 2006 7:05:00 da tarde  
Blogger Madalena said...

O mundo é muito pequenino! O meu marido (angolano) chegou a casa a anunciar-me um blog de um moçambicano: Beira Meu Amor. Tinha sabido pelo Altino!!!! É bom ler este reencontro. Parabéns pelo propósito de manterem o contacto.
Um abraço moçambicano aos dois!

terça-feira, novembro 07, 2006 9:15:00 da tarde  
Blogger Laurentina said...

Ai Maneli ... ler-te é o mesmo que ouvir-te!!
Muito eu gosto de ler as tuas hitórias . Divinas!!!
Inté mandrião vê lá se te pões a pé mais cedinho .
Beijão grande para ti ,Lita , Ritinha e Zé ...adoro-vos.

quarta-feira, novembro 08, 2006 8:48:00 da manhã  
Blogger Manuel Palhares said...

Laura Lara,

Obrigado por mais estas informações. Já agora acrescento que o avô do Roca foi director da alfândega da Beira.
Um beijinho,

Manuel

***********************************

Madalena,

Olá, bom dia!
Muito obrigado pela sua visita e pela amabilidade de aqui deixar um comentário.
De facto, com a ajuda destas novas tecnologias, têm-se dado reencontros difíceis de acontecer há uns anos atrás.
Foi uma alegria muito grande voltar a estar com o Altino!
Já vi que tem três blogs, os quais espero visitar em breve.
Um beijinho,

Manuel Palhares

***********************************

Elsita,

És uma madrugadora!
Isso são lá horas de já estares agarrada ao PC!!!
Obrigado pelas tuas bondosas
palavras, apesar de exageradas...
Um abraço ao Álvaro e um beijinho para ti,

Manel

quarta-feira, novembro 08, 2006 12:07:00 da tarde  
Anonymous M.Costa said...

Manel
Estava a estranhar o teu silêncio. É bom ouvir falar dos teus AMIGOS alguns dos quais também conheço.
Sobre o endereço que deste á Rhidia não é do Cruz que ela fala. Este é meu cunhado. Ela queria saber do Cruz da Sonap casado com a Graça que trabalhou comigo no BPSM. A Graça foi ou ainda é gerente da CGD de Vieira do Minho. Espera ter ajudado.
Um abraço
M.Costa

quinta-feira, novembro 09, 2006 6:16:00 da tarde  
Blogger Isabel Ribeiro said...

Manel
Pensei andas fugido e afinal sou eu que me perdi.
Que feliz texto escreveste sobre o encontro de amigos...
É isso tudo e mais parece que sentirmos não passou por nós.
Quando pequena meu Pai me dizia que Amigo era aquele que ao nos encontramos de novo se comportava de modo igual como se o tivéssemos vistos sempre, no dia anterior.
Sei agora pois assim já me aconteceu encontrar Amigos e os que pensava que eram.
Manel, depois dessa ofúria se sente uma alegria que parece que nosso peito não aguenta o coração a alegria imensa e então temos que repousar e deixar que esses momentos passam a ser de novo o nosso quotidiano de jovens.
Que Alegria senti por ti.
Um beijinho grande
Isabel

sexta-feira, novembro 10, 2006 9:31:00 da manhã  
Blogger Isabel Ribeiro said...

Andares

sexta-feira, novembro 10, 2006 9:33:00 da manhã  
Blogger Manuel Palhares said...

Costinha,

Olá, boa tarde!
Tudo bem contigo, meu amigo? Faço votos para que sim.
Olha, a Rhidia no seu primeiro e-mail, falou no Cruz da Sonap e eu, cheio de vontade em poder ser-lhe útil, envei-lhe o que tinha à mão. E já percebi que não é quem ela procura...
Pois é verdade! Reencontrei estes amigos, que também são teus, pois fomos todos colegas na Ponta Gea. E só te digo que é de facto uma grande alegria...
Um muito bom fim-de-semana para ti e um abraço,

Manel

sexta-feira, novembro 10, 2006 1:48:00 da tarde  
Blogger Manuel Palhares said...

Isabelita,

Agora vou conversar um pouco contigo, minha amiga da Beira e de Quelimane.
Primeiro que tudo, quero dizer-te que tenho aparecido menos por outros sítios, porque tive que diminuir bastante o tempo que passava por dia ao computador, por causa da vista. Mas, como dizias na resposta que me deste em VP, estou atento...
A amizade é de facto uma coisa maravilhosa e, no nosso caso, que nos espalhámos pelas várias "partidas" do mundo, tem ainda um sabor melhor o reencontro. Que bom é saber que os amigos, apesar do recomeço de vida que tiveram que fazer, estão bem, criaram os filhos e estão a ajudar a criar os netos.
Um muito bom fim-de-semana, um abraço ao teu filho Jerónimo e um beijinho para ti,

Manel

sexta-feira, novembro 10, 2006 2:13:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Oi Palhares
Finalmente um ar da tua graça!!
Pena teres de estar mais afastado
por motivos de saude.
Beijinho
MManuel

sábado, novembro 11, 2006 12:55:00 da manhã  
Blogger Manuel Palhares said...

Maria Manuel,

Olá, minha amiga grande! Que saudades!
Sabes, tenho vivido, até aqui, com muita alegria, apesar de tudo por que passámos e, por isso, tenho que dar muitas graças a Deus. O envelhecimento é enevitável, como é óbvio, mas se puder fazer o processo com a mesma alegria que tenho tido, já não é nada mau.
Um bom fim-de-semana e um beijinho do menino, mais novo, que se cruzou contigo no Jardim do Bacalhau, nos idos de 50, do século passado,

Manuel

sábado, novembro 11, 2006 2:03:00 da manhã  
Blogger kellygrangerwicca said...

peguei emprestado seu texto para mandar para uma amiga (espero que não se importe)... lindas palavras manuel!!!! entendo perfeitamente como se sente ....

Obrigada ...

BJS Kelly

domingo, março 09, 2008 2:24:00 da manhã  
Blogger Manuel Palhares said...

kellygrangerwicca,

Há quase três meses que lhe devo uma resposta.
Obrigado pela sua visita!
Espero que sua amiga tenha gostado.
Um beijinho,

Manuel Palhares

sábado, maio 31, 2008 1:08:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

/body>